CONVERSÃO

 

PARTE 2

3. A conscientização e o arrependimento.

Se o meu povo….. se humilhar…2Cron 7:14

Viu o moço tudo o que estava acontecendo com ele, e para o que ele havia dado as costas. O que ele havia negligenciado e desprezado. E pensou consigo mesmo: Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti;  Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros.

Seu orgulho, sua arrogância, sua insubordinação, sua indisciplina, estavam derrubados. Ele estava pronto para se humilhar perante o seu pai e confessar seus erros.

Sabia agora o que é ser responsável. Ele era o único responsável pela sua miserável situação. “Porque tudo que o homem semear, isto também ceifará.”  Gal. 6:7

Buscaria a misericórdia do Pai.

Operando Deus quem o pode impedir?

Todos nós temos erros. Vamos ser humildes de espirito e admitir que erramos. Conhecer e conscientizar-nos de cada um dos nossos pecados. Perceber nossas fraquezas e ver nossos tropeços. Saber onde caímos.

Para isto é necessário vencer o nosso orgulho, a nossa arrogância e a nossa autossuficiência. Tornar-se humilde de espirito.

Conhecer os nossos erros constitui o inicio da conversão.

 

4. Se converter dos seus maus caminhos.

…e se converter dos seus maus caminhos… 2Cron 7 :14

E, levantando-se, foi para seu pai;

O moço, não apenas se conscientizou e se arrependeu, mas se converteu e retornou dos seus maus caminhos, para a casa paterna. O que o trouxe de volta começou na conscientização e no arrependimento. Mas se ficasse apenas nisto, continuaria lá onde estava. Foi preciso tomar a decisão de voltar. E principalmente a atitude de voltar.

Só a conscientização e o arrependimento não são completos. São importantes, mas nos deixariam no mesmo lugar. Nem tampouco a decisão de convergir nos tiraria da inércia.  Para voltar atrás é necessário levantar-se e dar o primeiro passo. Iniciar a caminhada de volta. Passo após passo até chegarmos.

Convergir é retornar dos nossos maus caminhos. Retornar é fazer o caminho de volta. Voltar para a casa paterna, para buscar a convivência com Deus.

Para aquele que consegue, é o inicio de uma vitória.

Fazendo o caminho de volta, vamos crescer mais um pouco rumo á estatura do varão perfeito. Retornando dos nossos maus caminhos, estaremos indo rumo á presença de Deus.

 

5. Buscar a face de Deus.

…. e buscar a minha face…2Cron 7:14

E levantando-se foi para seu pai;

O filho levantou-se em sua miserável situação e iniciou a caminhada de volta. O  caminho de volta o trouxe á presença do pai.

O retorno dos nossos maus caminhos nos trará diante de Deus. Buscando a sua face. De encontro á sua presença de poder e de autoridade, mas também de sua presença santa, bendita e misericordiosa. De volta a casa paterna, de maneira humilde e consciente de nossos erros. Só perante a sua face saberemos se alcançamos misericórdia e perdão.  Graças á Deus, que a sua justiça inclui a misericórdia.

 

6.E orar.

…e orar…2Cron 7:14

E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.

Diante de Deus, a nossa oração deve ser humilde, confessando os nossos erros. Devemos pedir perdão, e rogar a reintegração na aliança com ele. Dizer da importância que damos em termos sido adotados como filhos, de termos sido feitos filhos de Deus. E de como é importante continuar tendo este privilégio. Que nos conscientizamos e agora  conhecemos onde erramos. Que retornamos do nosso mau caminho, para buscar a sua misericórdia e perdão. Que queremos ficar com ele e valorizar tudo o que antes não valorizamos. Que queremos voltar e permanecer com ele. Que queremos estar com ele  para sempre.

 

7.A resposta do Pai ( Deus)

… então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. 2 Cron 7:14

 Na parábola Jesus diz que, voltando o filho para casa do pai, quando ainda estava longe, viu-o seu pai. E o pai movido de íntima compaixão foi ao encontro do filho correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.

E disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos;

  Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. E começaram a alegrar-se.

O que Jesus nos mostra é a compaixão, a misericórdia e o amor do Pai pelo filho.

Ele esperava pela volta do filho. Com o seu retorno, o pai lançou no mar do esquecimento todas as ofensas que havia sofrido e perdoou prontamente tudo o que havia passado.  Ele sabia tudo o que havia acontecido. Que o filho havia perdido tudo.

Mas não havia perdido o caminho de volta para a casa do Pai.

Embora sua atitude anterior tenha sido de desprezo e desconsideração, o filho aprendeu agora o que era importante. E veio demonstrar isto. Retornou do seu mau caminho para casa de seu pai. Fez o caminho de volta. A sua atitude falou mais do que as muitas palavras de argumento humano.

O filho pensou que havia perdido tudo. Mas o pai nunca deixou de ama-lo. Isto ele nunca perdera. Sabia agora quanto ele era importante para o pai. Percebeu neste momento, como jamais havia percebido antes, o amor do pai. Este amor paterno que agora o reintegrava á condição de filho.

Deus ouve as nossas orações e se comove com a oração de um coração contrito e humilde. Ele nos recebe prontamente quando retornamos dos nossos maus caminhos e buscando a sua face, oramos pedindo misericórdia e perdão.  Ele perdoa nossos pecados, e entra com providencias a respeito de nos restaurar na sua família. Ele então nos recebe como á filhos muito amados. Restaura-nos a condição de filhos, dando-nos de novo a cobertura de um filho na casa paterna.

Todos nós temos pecados. Todos nós temos maus caminhos dos quais retornar. Não podemos nos deter na conscientização e no arrependimento. Este é um inicio importante, mas apenas o inicio do processo de retorno. Não devemos ficar estacionados na decisão de voltar, pois desta forma ainda não estaremos caminhando. Iniciemos a ação de dar o primeiro passo, e caminhemos rumo ao nosso reencontro com Deus.

Tomemos a atitude de retornar e conheçamos mais de perto o amor de Deus. Este amor de Deus que excede o nosso entendimento, mas que é real e podemos provar em nossas vidas.

Graças á Deus por esta oportunidade que ele nos dá.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s